Sistema de Arrefecimento: Cuidados a Ter

O sistema de arrefecimento desempenha uma função vital no funcionamento do seu veículo. Como tal, requer uma manutenção preventiva periódica.

Durante o funcionamento do motor, cerca de 60% da energia contida no combustível é convertida em calor. Parte dessa energia terá de ser dissipada pelo sistema de arrefecimento de forma eficaz.

Alguns dos cuidados a ter não necessitam de conhecimentos técnicos, sendo que outros deverão ser tidos por um técnico qualificado. Em todos os procedimentos e etapas da manutenção, deverão ser seguidas as normas e as recomendações do fabricante do veículo.

Eis alguns cuidados a ter que não requerem conhecimentos técnicos, mas que devem ser executados com o motor frio e utilizando os equipamentos de proteção individual, tais como luvas e óculos de proteção:

  • Inspeção visual do nível de anticongelante no vaso de expansão e/ou no radiador– este deverá estar no nível recomendado pelo fabricante e não deverá ultrapassar o nível máximo. Caso não possua liquido anticongelante deverá atestar o nível com água desmineralizada, apenas quando a quantidade a repor é pequena;
  • Inspeção visual da coloração do anticongelante– caso apresente uma coloração escura, é um indicador de existe corrosão dos componentes metálicos internos ou da passagem de óleo para o circuito de arrefecimento, e como tal deverá ser inspecionado mais meticulosamente por um técnico qualificado;
  • Inspeção visual de fugas do sistema de arrefecimento– caso detete uma descida do nível de anticongelante ou verifique alguma mancha da cor do anticongelante em alguma parte externa ao circuito, deverá ser executado um teste de estanqueidade por um técnico qualificado;
  • Inspeção visual dos vedantes da tampa do radiador e/ou do depósito de expansão– Caso verifique que algum dos vedantes esteja ressequido deverá proceder à substituição da tampa, tendo em conta as características definidas pelo fabricante, tais como a pressão de serviço.

Não é recomendável:

  • A utilização de aditivos tapa-fugas– estes levam a incrustações internas do circuito e ao entupimento do radiador, e por consequência, à perda de eficiência do arrefecimento. Prefira substituir o componente que apresenta fuga;
  • A utilização de aditivos de limpeza do circuito de arrefecimento– os metais precisam de ter uma pequena camada de oxido para se protegerem da corrosão porque os componentes que constituem o circuito de arrefecimento são feitos de materiais quimicamente distintos. Muitas vezes, ao proceder à limpeza do circuito com um aditivo de limpeza surgem posteriormente fugas. Os exemplos mais comuns de problemas que surgem são a passagem de compressão do motor para o circuito de arrefecimento, fugas no radiador e fugas em relas do motor.